sábado, 14 de abril de 2012

Medicina Tradicional Oriental



Agora, em um momento tão conturbado quanto à questão da Acupuntura no Brasil, em que se desperdiça uma enorme quantidade de tempo e energia com projetos, emendas, denúncias ... a Medicina Tradicional Oriental (MTO) acaba perdendo o elo de ligação do homem com o Universo e passa a ser utilizada como um elemento classista, é o que nos alerta Victor P. R. Lima no prefácio do livro do Dr. José Luis Padilla Corral, “Fundamentos da Medicina Tradicional Oriental”. Para Lima um pequeno presente, dedicado a todos aqueles amantes da vida, que de nenhuma maneira tem a pretensão de querer explicar tudo, mas tem a intenção de resgatar a Medicina Tradicional Oriental como algo mais humano, do povo, popular e ao serviço de todos.

Traduzido para português pelo mesmo autor do prefácio e colaboradores da Escola Neijing Brasil esse livro é resultante de cursos ministrados na sede da OPAS / OMS (Organização Panamericana da Saúde / Organização Mundial de Saúde) em Lima / Peru.

Segundo o Dr. José Luis Padilla Corral os postulados de saúde, enfermidade, prevenção e tratamento da Medicina Tradicional Oriental não constituem, em nenhum momento, um enfrentamento à medicina moderna. Se isso ocorre no cotidiano é devido à escassa formação dos médicos ocidentais e ao forte contingente de prejuízos nascidos da ignorância. Na atualidade, na República Popular da China, a permanente colaboração de ambos os pontos de vista tem possibilitado a realização de inúmeros trabalhos de investigação e uma aposta comum em fazer do sanador um servidor da saúde com todos os elementos que hoje a humanidade dispõe de forma fidedigna.

Segundo Corral a MTO não é uma medicina e sim uma tradição minuciosamente transmitida através de conceitos universais do lugar existencial do homem. Suas remotas origens de mais de 5.000 anos, antecedem a concepção de “China” e podem ser consideradas pertencentes a todo oriente. A MTO reafirma as evidências clínicas da medicina atual, que vem comprovando a sua eficácia. Alertando-nos que a OMS faz a oportuna recomendação de seu emprego e constata que recentemente, a influente Organização Norte-americana de Saúde tem apoiado a sua aplicação em diferentes doenças, mantendo, assim, a porta aberta às futuras investigações que comprovem outras aplicações. Vale ver.

Esse livro foi editado pela editora Roca (SP) 2006 e a ilustração do meridiano do coração aqui apresentada é uma das 20 ilustrações apresentadas sobre os meridianos.